Julian Lemos diz que corrupção é sinônimo de morte: “Não faço nem farei parte dessa sujeira”

Mais uma vez defendendo uma das suas principais bandeiras de luta, o combate à corrupção, o deputado federal Julian Lemos fez um desabafo sobre não conseguir entender porque alguns políticos continuam sendo votados mesmo depois de terem seus nomes envolvidos em escândalos de corrupção.

“Existe sempre uma sórdida relação entre o corrupto e os seus eleitores. O que mesmo depois de eleito não consigo entender é porque o povo não compreende que a corrupção sistêmica é mortal” declarou.

Julian pediu que os eleitores façam contas, tomem posição e vejam que não basta escolher por exemplo um presidente honesto, mas todo o parlamento também deve possuir essa qualidade.

“É através da corrupção que crescem os abusos sexuais de crianças, o número de mortes de pessoas que não tem acesso a saúde de qualidade, uma educação fraca e uma polícia menos equipada. Então tome posição, faça contas, e veja que não podemos buscar apenas eleger um presidente honesto, mas um parlamento cada vez mais fiscalizador e com legitimidade moral não apenas do voto” pontuou.

Ao finalizar, Julian ressalta que mesmo tendo sido eleito, não faz nem fará parte do que tachou como “sujeira”.

Confira:

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: