Isac Medeiros defende transparência, interesse público e nomeação do mais votado para reitor

 

A TV UFPB deu um show de democracia ao transmitir o Debate Virtual entre os candidatos da Consulta Pública para reitor da UFPB, nesta quarta-feira (19/08), pelo canal 43.1 HD, na TV aberta, e no seu canal do YouTube.

O debate é organizado pela Comissão Organizadora da Consulta Prévia foi realizado através da plataforma da Rede Nacional de Pesquisa – RNP, sendo transmitido pela TV UFPB e pelo YouTube da TV UFPB.

Com o jornalista Marcos Vital como mediador, o debate contou com perguntas formuladas por importantes entidades da vida universitária, como SintesPB, DCE e AdufPB, além de perguntas livres entre os próprios candidatos.

O professor Isac Medeiros, da chapa 1 – UFPB em Primeiro Lugar, assumiu o compromisso de que seu Reitorado será aberto ao diálogo com essas entidades extremamente importantes para a UFPB. “Receberemos todas as demandas, trataremos todas as demandas”, assegurou, lembrando que a UFPB já é parceira das entidades e afirmando que buscará o melhor para a Universidade, para os docentes, os técnico-administrativos e estudantes.

Isac Medeiros também falou da UFPB como uma instituição promotora de saúde. Elencou estruturas da Universidade como o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) e o Centro de Referência de Atenção em Saúde (CRAS), também extremamente importante e que tem atendido aos servidores técnico-administrativos, estudantes e docentes. Segundo Isac, na sua administração, o CRAS e o HULW terão as suas ações potencializadas para garantir a qualidade do atendimento e prestação efetiva dos serviços prestados.

No bojo das ações de promoção à saúde, Isac também pretende impulsionar os exames periódicos dos servidores técnico-administrativos, além de estabelecer parcerias nacionais e internacionais.

Transparência de dados acadêmicos

Sobre a transparência de dados acadêmicos, Isac vai potencializar o Observatório de Dados da Graduação (ODG), inclusive utilizando ferramentas de inteligência artificial, por exemplo. Com o ODG pode se combater a evasão e a retenção de estudantes, fenômeno que ocorre mundialmente, explicou. Isac Medeiros disse que também trabalhará na transparência de dados da assistência estudantil, com a maior inserção dos estudantes nas políticas de assistência estudantil, a participação do segmento no comitê gestor para o restaurante universitário e para a residência universitária, garantindo a transparência de todos os dados, desde matrículas ao funcionamento e ações da Universidade.

“Hoje, nós já temos efetivamente transparência de dados, inclusive na questão dos dados abertos, que é algo que está sendo implementado na nossa instituição, de modo que no serviço público teremos, sim, maior transparência de todas as ações da UFPB”, afirmou.

Professor Isac ressaltou ainda sua preocupação com os estudantes em situação de vulnerabilidade. “Estamos adquirindo algo em torno de 7 mil chips de celular que serão disponibilizados para os estudantes em vulnerabilidade, além disso, mais de 5 mil auxílios para que o aluno possa ter efetivamente as condições para ter acesso”.

Trabalho remoto

Isac Medeiros disse que a UFPB, mesmo durante o processo de pandemia de Covid-19, conseguiu manter seu funcionamento sem comprometer a vida das pessoas. A jornada flexível de trabalho continua existindo de acordo com a legislação vigente. Ele informou, inclusive, que existe uma comissão específica na UFPB com a função de analisar todos os pedidos de flexibilização de jornada de trabalho dos servidores e servidoras. “A regulamentação dessa comissão trouxe segurança para os servidores técnico-administrativos”, salientou.

O professor Isac Medeiros lembrou que a suspensão das atividades presenciais e adoção do teletrabalho, retirando 40 mil pessoas de circulação, tem sido uma grande contribuição da UFPB no enfrentamento à Covid-19 na Paraíba, para o controle da transmissibilidade.

Na avaliação de Isac, o teletrabalho está se mostrando eficiente, e ele propõe promover o debate sobre essas novas formas de trabalho no pós pandemia. “Nós temos, hoje, efetivamente, um teletrabalho que tem atendido às nossas expectativas, tudo de acordo com a legislação vigente”.

Mais votado na consulta

Quando o DCE trouxe ao debate o tema democracia, questionando qual seria a decisão do candidato caso não fosse o primeiro colocado na consulta, o professor Isac Medeiros voltou a responder o que disse no debate promovido por AdufPB e SintesPB na noite dessa terça-feira (18/08):

“Eu gostaria de responder muito mais diretamente, como eu fiz ontem, por sinal. Que eu me comprometo a assumir apenas, somente, se for o mais votado na consulta. Espero que todos os outros candidatos façam o mesmo. Nós estamos em um processo eleitoral que foi amplamente discutido no seio dos nossos conselhos, que foi discutido no âmbito do Conselho Universitário, portanto, conselho composto de representação docente, de representação de servidores técnico- administrativos e representação dos estudantes, portanto com legitimidade para decidir. E assumo aqui o compromisso de só, realmente, assumir a Reitoria caso seja o mais votado na consulta prévia eleitoral. Uma batalha de cada vez”, disse Isac, no debate da TV UFPB.

O professor lembrou que, após a consulta, será composta a lista tríplice, que irá para o Ministério da Educação, e lá, caso seu nome seja o primeiro, ele lutará para ser nomeado. “Mas, lutaremos apenas se formos o primeiro colocado. Deixo isso bem claro”.

O processo foi discutido exaustivamente no âmbito do Conselho Universitário da UFPB, instância que tem legitimidade para deliberar sobre essa questão. “Reitero que assumiremos caso formos eleitos o primeiro colocado da nossa consulta prévia, da nossa consulta eleitoral”, asseverou Isac Medeiros.

Ensino Básico, Técnico e Tecnológico

O professor Isac propõe elevar os conceitos do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) da UFPB, promover sua integração, e destas com a graduação, a pesquisa e a extensão. “Gostaria de lembrar aqui que, hoje, o diagnóstico para a Covid-19 no estado da Paraíba só está ocorrendo por conta de um professor e de um equipamento da nossa Escola Técnica de Saúde aqui da UFPB”.

O professor Isac falou da importância estratégica desse ensino e enumerou algumas propostas para a área: incentivar os servidores do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT); acompanhar e monitorar os indicadores do EBTT; viabilizar a inclusão das séries iniciais do ensino fundamental e a expansão dos cursos tecnológicos profissionalizantes; ampliar as vagas e democratizar o acesso a todos os cursos do ensino básico, técnico e tecnológico; investir em ações e estratégias para permanência dos alunos do EBTT oriundos da reserva de vagas; promover melhoria de laboratórios das escolas do EBTT, entre outras ações.

“Hoje, nós temos várias ações, não só na Escola Técnica de Saúde, no Campus de Bananeiras no Colégio Agrícola Vidal de Negreiros (CAVN), e teremos na próxima gestão também a inclusão da escola do Ensino Básico”, adiantou.

Perguntas entre candidatos

Uma vez que o professor Isac valoriza o princípio da transparência, perguntou à professora Terezinha como ela administra os recursos provenientes da venda de queijo, leite, pão, peixe, camarão e outros produtos resultantes das aulas práticas e pesquisas de docentes no CCHSA, do qual ela foi diretora.

Segundo a professora, os recursos excedente das aulas práticas vão para um núcleo comum, um centro de comercialização dos produtos, sendo depositado o recurso arrecadado em uma GRU e a Universidade devolve esses recursos para o CCHSA, para investir em equipamentos. Terezinha disse que, com isso, o centro arrecada em torno de R$ 150 a R$ 200 mil por ano.

O professor Isac informou que a sua proposta é justamente assegurar uma gestão transparente, democrática e íntegra, no intuito de assegurar o zelo do gestor com o patrimônio público e a destinação correta dos recursos públicos, inclusive os gerados pela própria instituição. “A UFPB ocupa, hoje, uma posição de destaque no ranking de gestão, não só do MEC, como também de governança. Sexto lugar, ocupa a posição co azul, azul da cor do mar, da cor da alegria”, salientou.

HULW

Ante as críticas do professor Valdiney Gouveia à eficiência do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), o professor Isac defendeu o hospital, que na sua avaliação possui um atendimento de qualidade, humanizado, com respeito às pessoas e que tem sido um gigante nesta pandemia, apresentando um dos menores índices de mortalidade em relação à Covid-19, ressaltou. Isac Medeiros parabenizou a atuação dos profissionais do hospital que têm muito compromisso. Conforme o professor da chapa UFPB em primeiro lugar, 900 pacientes são atendidos diariamente no hospital. “O HULW é um patrimônio da UFPB, efetivamente um hospital-escola, onde existe ensino, pesquisa e extensão de qualidade, de forma indissociável”.

Segurança

Entre as ações importantes para a Universidade, o professor Isac Medeiros destacou o papel da segurança institucional, lembrando que houve uma reforma na antiga prefeitura universitária na qual foi criada a Superintendência de Segurança Institucional. Segundo ele, o plano de segurança será implementado após a aprovação da política de segurança que está em discussão no Consuni. Entre as ações importantes para o setor, Isac Medeiros citou ainda a segurança eletrônica e a humanização do trabalho dos profissionais que atuam na segurança da UFPB.

O professor Isac defendeu a adequação do orçamento ao plano de desenvolvimento institucional. Ele questionou o orçamento do CCHSA, em 2019, na administração da professora Terezinha.

“Eu acho que, em relação a orçamento, o seu centro talvez não seja o melhor exemplo. Se a gente pega o relatório de execução comparando aquilo que foi empenhado e aquilo que foi liquidado, por exemplo, no ano de 2019, específico do CCHSA, eu vou tirar o CAVN, foi algo em torno de 55%, 56%, o que é realmente bastante aquém. E as pessoas daquele centro, do CCHSA, necessitam desses recursos, poderiam ter ido para grandes melhorias dos programas de pós-graduação, dos dois programas que tem. Mas nós, quando assumirmos, vamos lá e faremos todo o benefício para esses programas elevarem o conceito”, frisou.

O professor Isac também questionou o professor Valdiney Gouveia acerca da proposta deste para criação de um centro de estudos, concursos e eventos, que se encarregará de realizar pesquisas de opinião, estudo de mercado, pesquisa eleitoral, processos avaliativos, concurso, seleção de pessoal, organização e promoção de eventos acadêmicos. “O senhor tem experiência nessa área de pesquisa de opinião, oferecendo seus serviços para empresas e políticos. Esse centro seria uma extensão do que o senhor faz com seus alunos?”, perguntou professor Isac.

Professor Valdiney justificou que se espelhou no Cespe Cebraspe, de Brasília. Entretanto, o professor Isac analisou que a proposta não atende ao interesse público.

“Nós temos como princípio o fato de que os interesses pessoais ou, até mesmo, profissionais, jamais poderão se sobrepor aos interesses institucionais, criação de um centro ou até núcleo de pesquisa precisa ser fundamentado, ter previsão orçamentária e ser aprovado pelas instâncias, pelos conselhos da nossa instituição. A nossa gestão será baseada na ética, na integridade e na responsabilidade com o interesse público”, explicou o candidato da chapa 1.

Nas suas considerações finais, o professor Isac avaliou que o debate promovido pela TV UFPB e pela Comissão Eleitoral foi importante para a comunidade universitária escolher o próximo gestor, agradeceu ao DCE, à AdufPB e ao SintesPB pelas perguntas encaminhadas, enalteceu a participação dos colegas candidatos que participaram do debate, lamentou as vidas ceifadas devido à pandemia e ressaltou seu agradecimento à sua companheira de chapa, a candidata a vice-reitora professora Regina Celi, que integra a chapa 1 UFPB em primeiro lugar.

Considerações finais

Estamos juntos e estamos preparados para enfrentar os desafios de gerir a nossa instituição pelos próximos quatro anos. Vamos, sim, trabalhar por avanços na saúde. O HULW é nosso!”, disse.

Isac agradeceu a todos os pesquisadores e pesquisadoras da instituição, afirmou que vai trabalhar para elevar ainda mais a produção científica da UFPB, avançar na política de internacionalização e na Agência UFPB de Inovação Tecnológica, inclusive na perspectiva da UFPB ter seu parque tecnológico para impulsionar ainda mais as atividades de inovação. “Temos um legado aqui a defender, temos resultados para mostrar e temos um plano de gestão inteiramente executável”.

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: