ANÁLISE: Ricardo dá a senha para eventual formação de frente de esquerda em JP
João pediu para Ricardo continuar no cargo “Uma outra coisa que escutei foi o governador dizendo foi de que não me pediu para ficar no governo. Isso não é verdade, pediu sim, foi no final de fevereiro, começo de março [de 2018], lá na Granja Santana. Ele disse que se eu saísse do governo, com dois meses ele não sustentaria, porque Lígia [Feliciano, vice-governadora] iria engoli-lo, palavras dele. Eu não disse nada, fiquei na minha e não adiantei posicionamento nenhum e fui maturando, e, resolvi não sair candidato e fazer aquilo que julgava ser mais correto para a Paraíba.” Quem rompeu com quem? “Eu não rompi com ninguém, o atual governador é que rompeu conosco, eu espero que ele repense, retorne respeitando o projeto e respeitando os companheiros que o colocaram ali, se não respeitar e ninguém quiser, tem todo o direito de pegar o caminho que quiser”. “Eu não gosto de abandonar companheiros, não sou desse tipo, o que vejo é uma intriga generalizada, não há como conceber um governo em que as pessoas tinham vontade de trabalhar e, de repente, a gente um falando contra o outro”. E o senador Veneziano? “Com relação a Veneziano, não sei, sinceramente, o que ele quer, Veneziano teve também as bênçãos de todo esse projeto, que elegeu João e também Veneziano, que tinha passado por um momento difícil, após apoiar o impeachment, ficou numa situação delicada, o convidei para dentro do PSB e, acho muito estranho ficar dizendo que não tem posição.”

ANÁLISE: Ricardo dá a senha para eventual formação de frente de esquerda em JP

“Farei de tudo para não permitir que o Bolsonarismo governe João Pessoa”. Essa declaração dada pelo ex-governador, Ricardo Coutinho, durante…

0 Comentários
Fechar Menu