Bruno antecipa medidas mais restritivas do novo decreto e descarta toque de recolher em CG

O prefeito Bruno Cunha Lima informou que, até esta quinta-feira, 11, entrará em vigor o novo decreto municipal com medidas de combate local à pandemia do novo coronavírus. As medidas serão adotadas com base na realidade da própria cidade, sendo também fruto do diálogo com os diversos segmentos sociais do Município. A meta é evitar o aumento do número de casos de Covid-19, sem estrangular economicamente a cidade. O anúncio foi feio durante entrevista concedida ao Programa Bom Dia Paraíba, da Rede Paraíba de Televisão.

Conforme o prefeito, o novo decreto estabelecerá, entre outras medidas, a suspensão das atividades educacionais presenciais ou híbridas; mercados públicos e feiras livres funcionarão até às 15h nos próximos 15 dias; escalonamento do horário de funcionamento do comércio no Centro da cidade; redução de 40% de circulação de pessoas em galerias e shoppings centers; haverá limitação de bares e restaurantes em termos de horários, pois poderão funcionar até às 22h, enquanto celebrações religiosas terão a limitação de 40% quanto à ocupação de templos.

Segundo Bruno Cinha Lima, de maneira geral, o novo decreto municipal dá continuidade, reforça e aperfeiçoa a política implantada pelo governo municipal em Campina Grande desde o início da pandemia, cujos resultados atestam o sucesso da gestão local da crise sanitária, tornando a cidade referência no combate e no tratamento da Covid-19.

Ao contrário do decreto estadual, o do Município não prevê “toque de recolher”, pois, na visão do prefeito, este tipo de medida é uma verdadeira “excrecência”, afinal não existe no país um “estado de sítio” com a perda das liberdades. Em sua visão, o certo não é cercear as liberdades, mas conscientizar o povo, além de fiscalizar e punir os que teimam em descumprir as normas de segurança sanitária.

Texto fruto do diálogo

As medidas serão apresentadas antecipadamente aos representantes do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho. Os segmentos produtivos também serão sondados, para eventuais aperfeiçoamentos.

Por fim, o prefeito também vai promover encontro com os demais gestores da Macrorregião polarizada por Campina Grande para pedir o empenho de todos no sentido de que eles também endureçam nas suas cidades o processo de fiscalização, o que vai contribuir para desafogar a estrutura de saúde em Campina Grande.

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: