Apontado como “padrinho da Calvário”, Ney Suassuna retorna ao Senado

Acusado pelo Gaeco de ser o “padrinho da corrupção” que culminou com os desvio de mais de R$ 134 milhões da Saúde e Educação da Paraíba, Ney Susasuna (Republicanos) está de volta ao Senado após treze anos. Ele assumiu a vaga com a licença de Veneziano Vital do Rêgo (PSB).

De acordo com o Ministério Público da Paraíba, foi Ney quem apresentou Daniel Gomes, operador da Cruz Vermelha, ao ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), ainda durante a campanha de 2010. Daniel teria contribuído para campanha de Coutinho como contrapartida dos contratos fraudulentos na Saúde.

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: