Calvário: Vaza vídeo de depoimento do ex-secretário Waldson de Sousa à Corregedoria de Justiça


Vazou vídeo de depoimento do ex-secretário Waldson de Sousa à Corregedoria-Geral de Justiça do Estado da Paraíba, oportunidade em que teve que explicar a “conversa suspeita”, divulgada pela imprensa, onde foi flagrado negociando com o ex-procurador Gilberto Carneiro e um empresário da empresa Myriad Brasil Manutenção de Equipamentos Ldta, identificado como Wagner Silvestre Guedes, esquema fraudulento para licitação pública da Saúde estadual. Na oportunidade, Waldson foi “aconselhado” pelo ex-procurador Gilberto Carneiro, a procurar o magistrado Aluísio Bezerra, classificando-o como sendo uma pessoa “defensora do então governo Ricardo Coutinho (PSB)”. Chamou a atenção da justiça, apesar do encontro, das conversas e do vazamento da gravação, ambos os ex-auxiliares do Governo do Estado afirmarem não recordar do nome do empresário, já citado pela reportagem.

O conteúdo da gravação resultou em abertura de Reclamação Disciplinar contra o juiz Aluísio Bezerra, para que fosse apurado o teor da declaração de Gilberto Carneiro envolvendo o magistrado. À época, o ministro Humberto Martins, corregedor Nacional de Justiça, determinou o arquivamento da Reclamação Disciplinar nº 0000989-69.2019.2.00.0000 formulada pelo empresário Flávio Rodolfo Pinheiro, contra o juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. Flávio Rodolfo Pinheiro recorreu, ao Conselho Nacional de Justiça, da decisão do ministro Humberto Martins. O processo aguarda julgamento.

Operação Calvário:

Walson de Sousa e Gilberto Carneiro foram alvos da Operação Calvário, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público Estadual, que investiga esquema criminoso e desvio de recursos públicos da Saúde estadual. Na terça-feira (30), o juiz substituto da 5ª Vara Criminal, Adilson Fabrício Gomes Filho, recebeu denúncia do Ministério Público da Paraíba e tornou réu o ex-procurador Gilberto Carneiro, acusado pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. A operação, deflagrada em 2018, já é responsável pela recuperação de quase R$ 5 milhões.

Confira o vídeo:

 

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: