Delegado que coordenou ‘Operação Cartola’ é alvo de sindicância e deputado diz que é perseguição

Conhecido em todo o país após desvendar um esquema de fraudes nos resultados de jogos do Campeonato Paraibano, na ‘Operação Cartola’, e também por coordenar a ‘Operação Gabarito’, que investigou fraudes em dezenas de concursos públicos no Estado, o delegado Lucas Sá de Oliveira está sendo alvo de uma sindicância. O procedimento foi instaurado na semana passada pela Corregedoria Geral da Polícia Civil, no Boletim Interno da instituição nº 1.099.

O delegado já havia sido removido da Delegacia de Defraudações da Capital ainda no Governo Ricardo Coutinho e, após isso, pediu o seu afastamento temporário da Polícia Civil paraibana.

De acordo com a Corregedoria, a Sindicância se baseia no elevado número de inquéritos que estariam paralisados na delegacia de Defraudações, entre os anos de 2008 a 2018, período em que Lucas esteve à frente da unidade.

“Considerando as informações contidas no Ofício nº 656/2018/DDF, de 29.12.2018, do Titular da DDF, dando conta que foram encontrados naquela unidade policial o registro de 2044 (dois mil e quarenta e quatro) inquéritos policiais, em tramitação, dos quais 664 (seiscentos e sessenta e quatro) encontram-se em seus trâmites normais, sob a responsabilidade do titular da DDF e dos 02 (dois) Delegados Adjuntos. Entretanto, 1380 (um mil e trezentos e oitenta) procedimentos, relativos aos anos de 2008 a 2018, encontram-se totalmente paralisados, com prazos extrapolados, inclusive, com as requisições de diligências do Ministério Público não cumpridas, nos prazos legais, sem justo motivo”, relata o procedimento.

Deputado diz que é perseguição

Para o deputado Walber Virgolino (Patriota), que faz oposição ao Governo João Azevedo, o procedimento contra Lucas Sá não possui justificativa plausível e é “mais uma ação de perseguição a um profissional que já lutou tanto e deu grande contribuição à Polícia Civil da Paraíba”.

Segundo ele, o ex-titular da Delegacia de Defraudações passou a ser alvo de procedimentos administrativos após ter descoberto um “grampo telefônico” em que dirigentes de futebol citaram o ex-governador Ricardo Coutinho. “Daí por diante ele virou inimigo do Estado”, diz Walber.

Operação

A Operação Cartola é considerada a maior ação de combate à corrupção no futebol nos últimos anos no Brasil.Foram 8 meses de investigações e mais de 105 mil ligações gravadas com autorização judicial. O Ministério Público já apresentou três denúncias contra 27 pessoas envolvidas no esquema.

Vários dirigentes do futebol paraibano foram afastados e a direção da Federação Paraibana de Futebol (FPF) modificada, após as investigações. O blog tentou contato por telefone com o delegado Lucas Sá, mas não conseguiu localizá-lo.

Jornal da Paraíba

Comentários
Fechar Menu