Usando notícia fake, deputado paraibano defende prisões de Moro e Dallangnol

 

 

Não há dúvidas de que a troca de mensagens entre o hoje ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o coordenador da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, é graves. Eu diria até gravíssimas. Mas é bem verdade que a elas têm se juntado muitas fake news. Muitos diálogos que não constam nos originais divulgados pelo site The Intercept Brasil. O deputado estadual Jeová Campos (PSB), por exemplo, foi traído por uma das notícias falsas. Ele ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, nesta terça-feira (11), para defender as prisões de Moro e Dallagnol.

“Moro tem que ser preso e Dallagnol tem que ser preso. Agiram criminosamente contra a democracia. É impossível aceitar como uma coisa normal. Eu escuto às vezes alguém tentando minimizar. O conteúdo é muito grave. Combinaram o processo, combinaram a sentença e combinaram no TRF4. O diálogo do Moro é claro em dizer: não se preocupa que nós temos quatro amigos no TRF4. E quem eram os quatro amigos? Os quatro desembargadores que fizeram o julgamento de uma sentença toda combinada”, disse o parlamentar, durante entrevista, após discurso em plenário.

Ao ser informado que o diálogo referido é fake news, ele contemporizou. “Se é fake news eu não posso fizer esse fato, mas o que tem circulado na imprensa de todo o Brasil (é grave). Inclusive, os diálogos de Moro, combinando esse processo, eu posso dizer que até este agora não houve um desmentido nem do Moro nem do Dellagnol que os conteúdos são autênticos e estão em toda a mídia nacional”, disse Campos. O parlamentar evitou, também, traçar comparativo entre os casos denunciados no contexto nacional e as investigações da operação Calvário, na Paraíba. “A Calvário não tem nada a ver com esse caso grave nacional”, acrescentou.

Blog do Suetoni

Comentários
Fechar Menu