Após assassinato de taxista, João critica política armamentista de Bolsonaro: “Mais educação, menos armas”

 

O governador João Azevêdo (PSB) lamentou o assassinato do taxista Na última sexta-feira (15), no Bessa, por causa de desentendimento no trânsito. O governador aproveitou o episódio para criticar a política de armamento do Governo Federal. De acordo com o socialista, a população precisa de investimentos em educação e não em armas.

“Não acho que armar o cidadão vai resolver o problema de segurança e esse fato demonstra claramente que seria impossível qualquer política de segurança evitar um crime como aquele. O cidadão comum, por fato absolutamente desprezível, puxa uma arma e atira em outro trabalhador. A liberação cada vez maior de armas vai de encontro ao que pensamos, queremos pessoas com acesso a políticas públicas e educação, não a armas”, disse.

Comentários
Fechar Menu