Fracassa tentativa de Geusa de antecipar eleições na Câmara de Cabedelo

 

A presidente interina da Câmara de Cabedelo, Geusa Ribeiro (PRP), fracassou na tentativa de antecipar as eleições para a mesa diretora da Casa. Ela trava desde o início do mês uma queda de braço com o prefeito interino Vítor Hugo (PRB). O alvo de ambos é a presidência da Câmara Municipal. Quem for eleito, assume a prefeitura interinamente até a posse do novo prefeito, a ser eleito pelo voto direito, em 17 de março. Geusa havia convocado uma sessão extraordinária para este domingo (30), com edital publicado um dia antes. Na sessão, que seria comandada por ela, seriam escolhidos os substitutos para a mesa diretora eleita em março deste ano. A sessão, no entanto, foi boicotada pelos governistas.

Dos 15 vereadores de Cabedelo no exércio da função, apenas seis oposicionistas compareceram. Seriam necessários pelo menos oito para atingir o quórum necessário para abrir a sessão. Da mesa diretora eleita em março, apenas Vítor Hugo, atual prefeito interino, não foi preso no bojo da operação Xeque-Mate. Ele foi escolhido 2° vice-presidente e tem, inclusive, uma decisão judicial determinando que ele poderá assumir o cargo, em 1° de janeiro. Isso em decorrência da vacância da presidente e do vice. Jacqueline França, mulher do ex-prefeito Leto Viana, e Lúcio José estão presos desde abril. Estão presos, também, Antônio Bezerra e Tércio de Figueiredo, 1° e 2° secretários, respectivamente.

A sessão deste domingo deveria ter ocorrido às 18h. A pauta era a eleição suplementar para a Mesa Diretora no segundo biênio (2019-2020). De acordo com o edital, o registro da chapa completa de candidatos seria recebida pela presidente da Câmara Municipal, no intervaldo de 15 minutos, depois de declarada aberta a sessão extraordinária. A chapa deveria ser apresentada, contendo os nomes dos vereadores indicados para os cargos de presidente, 1º vice-presidente, 1º secretário e 2º secretário.

A convocação ocorreu após o prefeito interino da cidade, Vitor Hugo (PRB), ter oficializado a Geusa o pedido para entrega da chave da sede do Poder Legislativo para ele ser empossado como residente da Câmara e, por conseguinte, permanecer à frente da Prefeitura de Cabedelo. “Ela (Geusa) está movida pela sede de poder”, dis Hugo. Ele diz ter contratado já um chaveiro para abrir as portas do Legislativo no dia 1°, quando assumirá a presidência do Legislativo e fará eleição para a escolha dos outros membros do Legislativo.

Prisão de vereadores
A polêmica começou com a prisão dos vereadores eleitos para o primeiro biênio da Mesa Diretora da Câmara, durante a Operação Xeque Mate, do Ministério Público Estadual e Polícia Federal. Diante da vacância de todos os cargos, aconteceu a eleição para eleger uma Mesa Diretora para concluir o biênio. Vitor Hugo foi eleito presidente e Geusa Ribeiro vice-presidente.

Todavia, Vitor Hugo assumiu a Prefeitura porque o prefeito Leto Viana foi preso também na Xeque Mate. O vice-prefeito, Flávio Oliveira (PRP), foi afastado e depois faleceu. Em seguida, Geusa Rineiro assumiu como presidente da Câmara.

Vitor Hugo fora eleito como 2º vice-presidente da Câmara em eleição antecipada da Mesa Diretora. Todavia, ele foi o único a não ser preso, na Operação Xeque Mate. Neste cenário, ele quer ser empossado na Presidência da Câmara automaticamente.

Por outro lado, Geusa contesta a tese e alega que é preciso realizar a eleição suplementar e eleger parlamentares para os cargos vagos, ou seja, presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários. Por isso, ele convocou as eleições para este domingo.

Blog do Suetoni

Comentários
Fechar Menu