“Não teremos outra chance de romper a polarização PT x PSDB, diz Bolsonaro em Campina Grande

O deputado federal e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ) disse nesta quinta-feira (21) que pretende pôr um fim na polarização entre PT e PSDB. “O Brasil não suporta mais aquele pingue-pongue entre o PT e o PSDB. Vamos botar um ponto final nisso”, disse o parlamentar. A declaração foi feita durante um discurso em Campina Grande, segunda maior cidade da Paraíba. Bolsonaro disse que pode não haver outra possibilidade de romper a polarização. Não teremos outra oportunidade”, disse o deputado sem explicar o motivo da sua afirmação.

Falando em um pequeno trio-elétrico, o presidenciável demonstrou otimismo com o andamento de sua pré-campanha. O parlamentar alegou que parte da imprensa que, segundo ele, o persegue, já dá sinais de “fadiga”. “Por incrível que parecer, até mesmo aquela imprensa que vem nos perseguindo já dá sinais de fadiga. Já dá sinal de que vai ter se adaptar a algo diferente a partir do ano que vem. Porque nós somos maioria. Somos conservadores”, disse.

O deputado chegou a Campina Grande por volta das 16h. No aeroporto da cidade, uma pequena multidão o aguardava, apesar da chuva fina. Sua chegada à região havia sido divulgada em suas redes sociais no dia anterior.

Nesta quinta-feira, ele deverá viajar de carro à cidade de Patos (a 307 quilômetros de João Pessoa), onde vai participar da festa de São João da cidade. Na sexta-feira (22), ele estará de volta a Campina Grande, onde se espera que que o pré-candidato participe da tradicional festa de São João da cidade.

Bolsonaro chama Ciro de desequilibrado Questionado pela imprensa local sobre a passagem do também pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) a Campina Grande, Bolsonaro chamou o pedetista de “desequilibrado”. Em sua visita à cidade. Em sua visita à cidade, Ciro disse que seu adversário é “fascista”. “Eu não vou responder a uma pessoa desequilibrada”, disse Bolsonaro.

Foco no Nordeste A viagem de Bolsonaro à Paraíba faz parte da estratégia de sua campanha para fortalecer sua imagem na região. A ida ao Nordeste acontece dias depois da divulgação da pesquisa de intenção de voto realizada pelo Datafolha que indica que a região é onde o pré-candidato tem seus menores índices de aprovação e sua maior taxa de rejeição.

De acordo com pesquisa divulgada no último dia 10, Bolsonaro tem apenas 8% das intenções de voto na região Nordeste no cenário em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é candidato. A taxa é três vezes menor que a registrada no Centro-Oeste, onde Bolsonaro tem 24%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cenário em que Lula não aparece como candidato, Bolsonaro melhora, mas tem no máximo 12% das intenções de voto no Nordeste contra 17% da pré-candidata Marina Silva (Rede).

Para agravar ainda mais o cenário, também é no Nordeste que Bolsonaro amarga sua maior taxa de rejeição. De acordo com a pesquisa, 41% das pessoas entrevistadas disseram que não votaria no deputado federal “de jeito nenhum”.

A pesquisa realizada pelo Datafolha entrevistou 2.824 eleitores e eleitoras em 174 municípios do país.

Enclave tucano A viagem a Campina Grande tem outro elemento regional significativo. A cidade é considerada uma “ilha tucana” no Nordeste. Desde 2013, é governada por Romero Rodrigues (PSDB). Em 2014, enquanto a maior parte dos municípios nordestinos deu a vitória à então candidata à reeleição Dilma Rousseff( PT), em Campina Grande, a petista perdeu para Aécio Neves (PSDB).

Tido como “diplomático”, o prefeito Romero Rodrigues deverá receber Bolsonaro em seu camarote no Parque do Povo, local onde é realizado o São João de Campina Grande.

Para um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro, Julian Lemos, a ida do pré-candidato ao camarote do tucano não deverá criar constrangimentos em um momento em que Bolsonaro e o pré-candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckimin, trocam farpas.

“Não há constrangimento nenhum. Na semana passada, Romero recebeu Ciro Gomes (pré-candidato à Presidência pelo PDT). Por que ele não haveria de receber o Bolsonaro?”, indagou.

Há a expectativa de que Alckmin também venha a Campina Grande nos próximos dias. Na sexta-feira, o tucano estará em Caruaru, no interior de Pernambuco, onde participará da também tradicional festa de São João da cidade. Assim como Bolsonaro, ele também busca melhorar seus índices de intenções de votos no Nordeste.

Uol

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: