Balde de água fria: Calendário do TSE inviabiliza tese de novas eleições em Bayeux este ano

Portaria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) joga um balde de água fria na pretensão de quem se articulava, nos bastidores, para novas eleições, em Bayeux, ainda este ano. É que de acordo com calendário do TSE, o prazo máximo para realização de novas eleições termina no dia 24 de junho, o que seria inviável no município, mesmo se houvesse, hoje, renúncia ou cassação do prefeito afastado Berg Lima. Não haveria tempo hábil para se processar o pleito até a data limite.

Com a definição, a cidade só pode pensar em novas eleições a partir do próximo ano. Quem leva vantagem com a resolução, é o prefeito interino, Mauri Batista, o Noquinha (PSL), que tem pretensões de permanecer no cargo e trabalha para ganhar tempo a fim de fortalecer o nome para novas eleições e apresentar resultados práticos para a popupação, que vive uma instabilidade política e asministrativa sem precedentes.

Confira o calendário do TSE

IMG-20180519-WA0900 IMG-20180519-WA0898

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: