Fogo amigo: Tibério Limeira rebate Tião Lucena e diz que jornalista é bajulador de governos

O clima esquentou entre o vereador Tibério Limeira (PSB) e o secretário-executivo de Comunicação do Estado, Tião Lucena, esquentou por causa de uma declaração do vereador ao veto do governador Ricardo Coutinho (PSB) ao projeto de lei do deputado Bruno Cunha Lima (PSDB), que determina a inserção do símbolo mundial do autismo nas placas que sinalizam atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados.

Tião chamou o vereador de oportunista, desinformado e desleal. Para o secretário, Tibério aproveitou o momento para se unir à oposição e esconder a inexpressividade do mandato dele como vereador. Em nota, o socialista rebateu Tião Lucena disse que recebeu a declaração do jornalista com estranheza e chamou Tião de babão do governador.

“A minha lealdade é antes de tudo à garantia de respeito à dignidade humana. Lealdade ao trabalho, à confiança que veio das pessoas desta cidade e ao histórico de construção deste projeto político. Muito diferente deste secretário, cuja lealdade se encerra em cargos, contracheques e bajulação ao governador do momento”, declarou.

Confira a nota:

Recebi com estranheza as palavras ásperas do Secretário Executivo de Comunicação do Governo do Estado, Sebastião Lucena.

Ao chamar de oportunista a minha postura enquanto pai e vereador, diante do Projeto de Lei que busca inserir o símbolo do autismo nos estabelecimentos públicos e privados da Paraíba, o secretário se valeu do mais espúrio expediente, que, aliás, é marca inequívoca de sua condição de jornalista.

Ao me imputar a pecha de desleal, pelo fato de ter seguido a minha consciência e apelado publicamente em defesa da luta dos familiares de pessoas autistas, o secretário julga equivocadamente o sentido de lealdade.

A minha lealdade é antes de tudo à garantia de respeito à dignidade humana. Lealdade ao trabalho, à confiança que veio das pessoas desta cidade e ao histórico de construção deste projeto político.

Muito diferente deste secretário, cuja lealdade se encerra em cargos, contracheques e bajulação ao governador do momento.

Agora, motivado por uma reunião articulada por mães de crianças autistas, que aproveitando o compartilhamento da sede da Câmara Municipal com a Assembléia Legislativa, convidaram também deputados de oposição e situação, a exemplo do deputado Raoni Mendes, que não pode participar, este secretário utilizou-se do fato para colocar em xeque a minha relação com o Governo e com o próprio PSB.

Há 15 anos dedico a minha vida à construção deste projeto político. E hoje não seria diferente: sigo acreditando e construindo. E, apesar dos meus 33 anos de idade, não tenho dúvidas, tampouco receio de dizer: entre Tião Lucena e eu, não há lealdade que se compare. Busque outro fato, outro bode-expiatório. As raposas velhas passarão. Nós, passarinho.

Tibério Limeira

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: