Com dívidas de R$ 80 milhões, Berg Lima decreta situação de emergência em Bayeux

O prefeito de Bayeux, Berg Lima (Podemos), fez um balanço na noite desta segunda-feira (16), após 15 dias no comando da prefeitura, sobre a herança financeira herdada pelo ex-prefeito, Expedito Pereira (PSB).

Segundo o prefeito, a dívida deixada foi de R$ 80 milhões, além de péssimas condições dos prédios públicos e o sistema de saúde desabastecido de medicamentos e equipamentos.

Berg destacou que a dívida com o INSS ultrapassa os R$ 22 milhões, com o Instituto de Previdência do Município chega a R$ 22 milhões e com a Cagepa é de R$ 8 milhões. Apesar disso, o prefeito destacou avanços nesses 15 dias de governo.

“Diversos prédios estão abandonados. Encontramos postos de saúde sem medicamento. A UPA não tinha as mínimas condições de funcionamento. Algumas escolas estão sem condições de aula. A limpeza da cidade, é outro grande problema. A empresa que faz a coleta tem mais de R$ 1, 4 milhão em dívidas para receber desde outubro. Só com INSS, Cagepa e IPAM, a divida chega a quase R$ 50 milhões”, revelou.

Diante desse quadro, o prefeito da cidade decretou situação de emergência administrativa no município, por 90 dias. Ele afirmou que uma comissão, formada por várias secretarias, foi criada para dar transparência e legalidade às ações.

“Estamos trabalhando arduamente para buscar o equilíbrio financeiro da nossa prefeitura. Diante desse quadro desfavorável, decretamos situação de emergência administrativa pelo prazo 90 dias para colocarmos a casa em ordem. Criamos uma comissão formada por diversas secretarias para dar transparência e legalidade às ações”, ressaltou.

 

Comentários
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: