Vereadores de Bayeux aprovam indicação do superintendente do IPAM, mesmo com decisão contrária da justiça

Em mais uma manobra da Câmara Municipal de Bayeux, os vereadores da cidade prorrogaram, na noite dessa terça-feira (20), o mandato do atual superintendente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (IPAM), Gilson Luiz da Silva, aliado do prefeito Expedito Pereira (PSB) por mais quatro anos.

Para beneficiar o aliado, Expedito modificou o processo de escolha do superintendente do órgão. A nomeação do  cargo era prerrogativa do prefeito, mas o socialista alterou as regras e decidiu que a escolha seria através de eleição de Conselho de Administração do Instituto. Conselheiros do IPAM ingressaram com uma ação na justiça, alegando fraude na eleição do órgão.

O juiz da 4ª Vara Mista de Bayeux, Francisco Antunes Batista, concedeu liminar, mês passado, suspendendo a eleição. O magistrado alegou que a escolha foi processada de forma fraudulenta. De acordo com a sentença, o atual superintendente Gilson Luiz da Silva, de forma criminosa, solicitou que assinassem a lista de presença, dizendo tratar-se da ata da última Assembleia Ordinária.

Em contato com o blog do Anderson Soares, nesta quarta-feira (21), o prefeito eleito de Bayeux, Berg Lima (Podemos), disse que a manobra de Expedito e dos vereadores é uma tentativa de inviabilizar a futura gestão . Ele adiantou que deve realizar uma auditoria no IPAM para identificar possíveis abusos no órgão.

“A Câmara aprovou um grande equívoco. Contrariando, inclusive, o parecer contrário do Ministério Público e Conselho do IPAM, que foi alvo de fraude em ata. A manobra encaminhada pelo atual prefeito é uma tentativa explícita de inviabilizar a nova gestão. Já estamos estudando a realização de uma auditoria na Previdência do Município para diagnosticar os absurdos que contribuíram para o desgaste do órgão.

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: